CALIBRAÇÃO RBLE e RBC X CALIBRAÇÃO RASTREADA

Existe alguma diferença ? verdade ou mito?

 

Uma dúvida comum e frequente dos usuários do sistema da qualidade e quanto aos termos corretos a serem utilizados nas duas modalidades de calibração e instrumentos vigentes no país.

 

Todos os dias recebemos solicitações de orçamento, documentos e até convites de licitações com os termos ou o texto descrito de forma incorreta. Há pouca informação disponível no mercado e na internet e por ser um tema que não é tratado nas empresas com frequência, a dificuldade em entender qual a necessidade para cada caso fica latente.

 

 

Importante entender que o termo “calibração rastreada” aparece no item correspondente da ISO 9001 (2008 ou 2015) e é mais que o suficiente para atender todas as demais Normas utilizadas em conjunto ou nas empresas do ramo alimentício, segurança do trabalho, farmacêutico e etc. Somente em casos onde a Norma correspondente ao Sistema da Qualidade exigir a calibração RBC é que realmente se fará necessária. Em todos os outros casos, o cliente poderá escolher o que melhor convier.

 

Um exemplo clássico são empresas que têm o seu sistema da qualidade baseado na ISO IEC 17.025. Essa Norma é relativa a calibração e ensaio.

 

Laboratórios de Análises de água, clínica e alimentos que estiverem acreditados pela 17.025 devem ter seus instrumentos calibrados pela RBC.

 

E quais são as diferenças entre as duas para que o cliente possa definir o que é melhor para o seu Sistema da Qualidade ?

 

 
Calibrações pela RBC não exigem a apresentação da rastreabilidade em nenhum momento. Tanto em auditorias internas como nas externas, o certificado de calibração do instrumento auditado é o primeiro na escala de rastreabilidade. Esse certificado tem como diferença principal a colocação do selo do Cgcre no canto superior direito. Portanto, para esse instrumento, não há a necessidade da guarda dos padrões utilizados na calibração.

 

Para a maioria dos auditores, a calibração RBC deixa a impressão de confiança nos serviços realizados e, até por falta de mais informação dos auditores, antecipa a avaliação do item em questão.
Algumas calibrações pela RBC têm seu procedimento descrito por Norma.

 

Exigindo do laboratório mais resultados, no intuito de aumentar ainda mais a confiança nos resultados encontrados. Por esses motivos, normalmente essa é uma calibração mais cara e mais demorada.
 

Quer dizer que a Calibração Rastreada é um serviço pior ?

 
Não é bem assim o nosso entendimento. Sem entrar no mérito estatístico e prático do assunto, a calibração rastreada é mais barata e mais rápida porque não exige tantos controles de documento e pode ser executada por qualquer técnico com o devido treinamento.
 
A calibração rastreada têm os seus procedimentos escritos pela empresa contratada e, em sua maioria, podem ser executados em campo. Isso aumenta ainda mais a velocidade do serviço e libera o instrumento para uso no mesmo dia. Isso reduz em muito o custo operacional.
 
Importante ressaltar que tanto o certificado de calibração rastreada como o realizado diretamente pela RBC devem ter o mesmo conteúdo. Além disso, os padrões utilizados são os mesmos. Isso garante a qualidade do serviço e as incertezas dentro dos critérios esperados pelo contratante.
 
Para encerrar essa explanação é importante ressaltar que as calibrações rastreadas podem ter em seus certificados a inclusão da frequência de calibração (tempo definido entre uma calibração e outra) e o Limite de Erro (Critério de Aceitação) informados pelos usuários. Esse é um grande facilitador para empresas subcontratadas para o serviço que colaboram no gerenciamento futuro das calibrações e na validação dos certificados. A calibração pela RBC não permite essa inclusão. Todo o gerenciamento das calibrações como a validação dos certificados deverão ser apresentados de forma clara nas auditorias.